CTA, POLICIA CIVIL ( SENARC) e PMMA erradicam mais de CENTO E SESSENTA E SEIS MIL PÉS DE MACONHA no interior do Estado do Maranhão e cumprem Mandados de busca e apreensão em Centro do Guilherme

A Secretaria de Segurança Pública do Maranhão, através do Centro Tático Aéreo, Polícia Civil ( Senarc) e Policia Militar(DIAE), realizou a Operação TARIM 02, quando foram cumpridos na manhã do dia 03 de maio dois mandados de Busca e Apreensão na cidade de Centro do Guilherme , resultando na prisão de um dos principais traficantes da região, identificado como José de Ribamar da Silva Ribeiro, vulgo Zé Riba, além de armas, maconha pronta para o consumo e R$ 12.700,00 em espécie.
A missão faz parte da Operação Tarim 02, desencadeada pelo Centro Tático Aéreo, em conjunto com a SENARC e Polícia Militar(DIAE) no período de 01 a 08 de maio de 2017, nas cidades de Centro de Guilherme, Centro Novo, Maracaçumé e cidades circunvizinhas, pois a região é considerada grande produtora de maconha no Estado do MA.

A operação teve como objetivo o combate ao tráfico de entorpecentes, em especial, evitar que as plantações de MACONHA sejam colhidas e cheguem às pequenas e médias cidades do interior do Estado do Maranhão.

O CTA e a SENARC realizam operações periódicas de combate e erradicação de plantios de maconha, entretanto essa é a primeira operação desse porte, organizada com cumprimento de mandados de busca e apreensão. O resultado foi a prisão de um dos principais responsáveis pelo plantio, bem como a erradicação de 166.066 ( CENTO E SESSENTA E SEIS MIL E SESSENTA E SEIS ) PÉS de MACONHA e apreensão de 08 armas de fogo de fabricação artesanal .

Caso esses 166.066 de pés de MACONHA fossem colhidos e prensados pesaria, aproximadamente, 33 ( TRINTA E TRES ) TONELADAS. Portanto , a Operação TARIM 02 gerou um prejuízo, estimado, em R$ 13.000.000,00 ( TREZE MILHÕES DE REAIS ).

Durante a operação foram empregados o efetivo de 31 policiais , 01 helicóptero, com um total de 32,2 horas voadas, e 06 VTRs.

A operação TARIM 02 foi a maior operação dos últimos 10 anos do CTA .

Comentários