Servidores da Câmara de São Luís comparam Osmar Filho à Ivan Sarney: “Um nos adoeceu e o outro está nos matando”

O servidor da Câmara Municipal de São Luís tem sofrido na gestão do presidente Osmar Filho mais do que sofreu na gestão do ex-presidente Ivan Sarney – precisamente, 12 vezes. O alarmante dado que começou a ser revelado em março deste ano, com a morte da radialista Helena Leite, se confirmou ontem com o falecimento do jornalista Alterê Bernardino. A estatística reforça a preocupação da categoria com o tratamento dispensado pelo atual chefe do legislativo municipal.

“Ivan nos adoeceu e Osmar está nos matando”, destacou um servidor revoltado com o atual comando do Palácio Pedro Neiva de Santana, sede da Câmara.

A morte de Helena ocorrida no dia 30 de março trouxe à tona um tema ‘invisibilizado’ que na maior parte do tempo é ignorado e esquecido, senão por todos, pela imensa maioria: a falta de consideração e de reconhecimento. Em alguns casos o reconhecimento chega tardiamente e só vem com a morte.

Em outras situações, nem a morte é capaz de proporcionar isso. Pelo menos foi essa atitude que demonstrou Osmar Filho ao tratar o falecimento de um servidor com quase 40 anos de dedicação à Casa que completa 400 anos este mês.

Generocidade tem sido uma campanha brilhante que a gestão de Osmar trabalha para inspirar pessoas a praticar o bem. O problema, entretanto, é que a peça publicitária não conseguiu dobrar o coração do pedetista.

Em outubro, logo após tomar conhecimento do assassinato do administrador da Feira da Cohab, Dimas Garcia de Araújo, Osmar Filho mandou suspender sessões solenes e decretou luto. Dimas não tinha ligações com a Câmara. No entanto, mesmo com a morte de Alterê – profissional dedicado ao parlamento, o legislativo continuou expediente normal e sequer decretou luto na Casa.

COLECIONADOR DE CADÁVER
Assim como aconteceu com Helena Leite, que foi afastada pelo atual presidente após 20 anos de prestação de serviços na Câmara, familiares de Alterê Bernardino demonstraram sinais de insatisfação com Osmar. Eles teriam declarado a colegas de profissão que o jornalista, estava sofrendo por conta de situações tomadas na atual gestão. Uma dessas medidas teria agravado o quadro de depressão do comunicador, que já se encontrava abalado com o afastamento de algumas funções.

Na realidade, as informações acima elencadas apenas demonstram, de forma clara, o porquê do atual chefe do legislativo ludovicense não ter conseguido se viabilizar na corrida rumo ao Executivo Municipal.

“O presidente precisa tomar bastante cuidado, pois pode está percorrendo o mesmo caminho traçado pelo ex-presidente Ivan Sarney, que mesmo sentando na cadeira de presidente e sendo um integrante do poderoso clã Sarney, amargou uma vexatória derrota nas urnas e não conseguiu a reeleição “, finalizou um servidor da casa que pediu para não ser identificado.

Comentários