Samuel de Itapecuru vai a Brasília em busca de projeto em prol ao Rio Itapecuru

Na manhã desta segunda-feira(08) , em Brasília, Samuel Campelo , mais conhecido como Samuel de Itapecuru(PSL), reuniu-se com a Diretora da FUNASA ,Ocileia Fernandes , em busca de melhorias para o Município de Itapecuru, com ações voltadas para a preservação do Rio Itapecuru.

Na oportunidade, Samuel pode explicar a real situação que se encontra o rio , rio este, que abastece diversas cidades do interior do Maranhão inclusive a capital do estado, São Luís . Vale ressaltar que mesmo não se elegendo no último pleito , Samuel continua atuante , lutando pelo crescimento e desenvolvimento dos municípios do Maranhão.

“Não podemos mais fingir e tapar os olhos com o que acontece com nosso rio, anos e anos se passam e ninguém percebe essa problemática, não posso mais me ausentar disso, enquanto vereador de Itapecuru, fiz diversas ações para manter e até melhorar nosso rio , agora, serei ainda mais fiel e lutador para que não tenhamos que sacrificar gerações futuras”, afirmou Samuel de Itapecuru.

História do Itapecuru

O Rio Itapecuru, possui aproximadamente 1.500 km de extensão, o rio nasce no sul do estado do Maranhão, corre para leste e deságua na baía de São José, no golfo Maranhense. A largura do rio varia de 50 a 120 m.

O Itapecuru abastece 75% da população de São Luís, além de outras cidades. A bacia do rio Itapecuru se estende a leste do Maranhão, ocupando considerável área de sul a norte, em terrenos relativamente baixos e de suaves ondulações, totalizando aproximadamente 54.027 km². Constitui-se num divisor entre as bacias do Parnaíba, a leste, e a do Mearim, a oeste. Seus principais afluentes são os rios Alpercatas, Corrente, Pucumã, Santo Amaro, Itapecuruzinho, Peritoró, Tapuia, Pirapemas, Gameleira, Codó, Timbiras e Coroatá.

O Itapecuru pode ser caracterizado fisicamente em 3 regiões: alto, médio e baixo. Dentre os principais fatores que determinam essa caracterização podemos citar: a rede de drenagem, o relevo da bacia e a navegabilidade.

Vai da nascente no município de Mirador,onde é altamente preservado e resguardado pela Parque Estadual do Mirador, onde a COOPERMIRA, Cooperativa dos Técnicos em Proteção Ambiental do Parque Estadual do Mirador, exerce a responsabilidade de gerir esta Unidade com um trabalho de Fiscalização e Educação Ambiental. Aqui predominam chapadões, chapadas e costas, com um relevo fortemente ondulado, atingindo altitudes de 350 m nas serras do Itapecuru, Crueiras e Boa Vista. É uma região de difícil navegabilidade, sendo possível apenas em pequenas canoas até o seu mais importante afluente, o rio Alpercatas, em Colinas.

A preocupação é muito importante e as políticas públicas para que haja um tratamento especial é imprescindível para todos os maranhenses.

Comentários